Loading...

sábado, 25 de abril de 2009

AULA DE INFORMÁTICA

INFORMÁTICA EDUCATIVA: como acontece na escola?
A escola deve oferecer diversas possibilidades ao aluno para que ele construa o seu saber de modo significativo. O computador, como uma ferramenta pedagógica, enriquece as aulas tornando-as mais dinâmicas e motivadoras, favorecendo a construção do conhecimento e ao desenvolvimento da aprendizagem. O professor é um elo de conexão entre o aluno e o conhecimento. Seu trabalho deve ser de mediador, auxiliando o aluno no seu processo de construção através de uma aprendizagem colaborativa, onde o conhecimento não termina em si mesmo.
PLANEJAMENTO: fator extremamente importante
Como em toda aula, antes de levar o aluno ao Laboratório de Informática, é preciso haver planejamento do que será desenvolvido e que objetivos pretende-se alcançar. O professor da turma deve planejar a aula de acordo com o currículo escolar (assunto/conteúdo), com antecedência, e o professor de Informática irá disponibilizar os recursos necessários para se desenvolver a atividade proposta.
A AULA: como se desenvolve?
No laboratório, os alunos irão utilizar o computador com as atividades já inseridas no mesmo e terão a ajuda do professor (da turma) para auxiliá-los no desenvolvimento da atividade, sempre interagindo técnica, conhecimento e habilidades. O professor de Informática também dá apoio ajudando no que for necessário, já que o mesmo também tem conhecimentos pedagógicos. Os recursos utilizados são selecionados previamente pelo professor de informática, tais como softwares do computador, softwares educativos (jogos educativos), atividades on line e também recursos multimídia: vídeos, músicas e outros. Todo esse conjunto irá oferecer ao aluno um ambiente agradável e propício à aprendizagem, onde a descoberta se faz a cada momento.
Este texto foi escrito com base na minha experiência profissional na área de Informática Educativa. Se você, leitor, concorda ou discorda em algum ponto, fique à vontade e dê a sua opinião, aceito também sugestões.
Por Sandra R. de A. Viana

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Resultado da enquete

De acordo com o resultado da nossa enquete, 83% dos nossos visitantes concordam que o computador enquanto tecnologia leva o aluno ao aprendizado à medida que o mesmo interage com a máquina.
Mas, para que isso aconteça, os professores terão que estar capacitados quanto ao uso do computador enquanto tecnologia de modo que o aluno construa o seu próprio conhecimento e não apenas como uma máquina de motivação para reproduzir os conteúdos pré-definidos. Ou seja, a tecnologia tem que caminhar junto com a metodologia.
O uso da Informática na Escola
Nelson Pretto
Morar fora do Brasil e todos os dias poder ler A Tarde para saber o que acontece em Salvador. Movimentar a conta bancária sem maiores problemas, a menos o de verificar diariamente a desvalorização do nosso real frente a libra da rainha. São algumas das vantagens da Internet que fazem parte daquilo que chamo do "outro lado" do uso da rede.
O que se quer saber no momento é exatamente o que as escolas estão fazendo na Internet. Como estas tecnologias estão sendo incorporadas ao processo educacional e o que elas estão trazendo de transformação, de inovação ou de simples melhoria para a educação de nossos filhos? Estas questões são complicadas e, quando vemos um país como o Brasil seguindo os modelos internacionais e investindo muito dinheiro na informatização do sistema público de ensino, ficamos a nos perguntar que benefícios teremos. Quem tem filhos em escola particular já se pergunta sobre isso porque muitas vezes paga extra pela terceirização das aulas de informática. Mas, para que estas aulas? Aulas de que? Aulas para ensinar a usar processador de textos ou planilhas eletrônicas? As mais avançadas falam em preparar para o futuro. Que futuro?! Será isso um simples modismo que logo passará? Penso que não e justo aí está o problema.
Precisamos estar atentos a estas políticas porque estas tecnologias podem efetivamente contribuir para uma transformação radical no nosso sistema educacional mas somente se forem utilizadas em outras bases. Se gastamos muito dinheiro com estes equipamentos e repetimos os velhos métodos, o que teremos será apenas uma escola mais cara.
Estas são questões fundamentais e, se não pensarmos nelas, mais uma vez vamos montar enormes estruturas que potencialmente são estruturas comunicacionais, de diálogo e criatividade, e transformá-las em estruturas burocráticas de cumprimento de tarefas. E se nós, professores, estamos fazendo isso apenas como mais uma tarefa padronizada e burocrática, não resta a menor dúvida que muito em breve - ou será que já começou?! - estaremos passando estas mesmas monótonas e repetitivas tarefas para nossos alunos. E eles, mais uma vez, vão nos odiar!

Leia o texto completo no endereço:

http://br.geocities.com/spereirag

domingo, 2 de novembro de 2008

Metodologia ou tecnologia?

Assista ao vídeo. Este tema foi abordado na aula de Tecnologia Educacional do curso de Pós Graduação em Tecnologias e Mídias na Educação (UNIVERSO) pela professora Ana Karina Vieira de Azevedo. Atenção! Não deixe de fazer seu comentário!

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

O que é Informática na Educação?

José Armando Valente

O termo "Informática na Educação" tem assumido diversos significados dependendo da visão educacional e da condição pedagógica em que o computador é utilizado. No entanto, o MEC-PROINFO ao longo da sua história de atuação nessa área, tem muito peculiar e, portanto, merece ser explicitada.

Em linhas gerais, a Informática na Educação significa a inserção do computador no processo de ensino-aprendizagem dos conteúdos curriculares de todos os níveis e modalidades da educação. Os assuntos de uma determinada disciplina da grade curricular são desenvolvidos por intermédio do computador.

Uma vez isso posto, a primeira distinção que é necessário explicitar é que essa visão elimina o uso do computador para ensinar conteúdos de ciência da computação ou "alfabetização em informática". Nesse caso, o aluno usa o computador para adquirir conceitos computacionais, como princípios de programação e implicações sociais sociais do computador na sociedade. Essa abordagem tem sido bastante divulgada e é a solução que muitas escolas encontram para o uso do computador na educação. Para tanto, o atual currículo é incrementado com uma disciplina de "Introdução à Informática" cujo objetivo é ensinar sobre computação. Certamente isso permitirá ao aluno conhecer o computador. Porém, do ponto de vista educacional, isso não altera o modo como os conteúdos das outras disciplinas são ministrados.

Portanto, a Informática na Educação significa o desenvolvimento do conteúdo de disciplinas curriculares por intermédio do computados. Por exemplo, o conteúdo de uma determinada série pode ser desenvolvido integrando o computador aos métodos tradicionais que o professor usa. No entanto, isso pode ser feito pelo próprio professor da disciplina como por um especialista em informática cuja missão é desenvolver as atividades de uso de computador na escola. Em geral, a presença do especialista em informática tem sido adotada por escolas que deseja ter o computador implantado nas atividades educacionais mas não estão interessados em resolver as dificuldades que a inserção do computador na disciplina normalmente acarreta como a alteração do esquema de aulas, ou investir na formação dos professores das disciplinas.

A Informática na Educação que o MEC-PROINFO tem adotado enfatiza o fato de o professor da disciplina curricular tem conhecimento sobre os potenciais educacionais do computador e ser capaz de alterar adequadamente atividades tradicionais de ensino-aprendizagem e atividades que usam o computador. No entanto, a atividade de uso do computador pode ser feita tanto para continuar transmitindo a informação para o aluno e, portanto, para reforçar o processo instrucionista, quanto para criar condições do aluno construir seu conhecimento.

http://br.geocities.com/spereirag

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

A tecnologia renovando o Processo Educativo

A educação nos dias atuais está passando por um processo de renovação de espaços, de resignificação de conteúdos e de valores, tendo como ponto de partida todas as mudanças ocorridas na sociedade. Um novo paradigma surge no horizonte da civilização moderna em decorrência do desenvolvimento tecnológico na informação e na comunicação. As sociedades sentem a urgência de desenvolver programas capazes de promover a necessária inserção e participação ativa nesse mundo que, aos poucos, se descortina e traz a possibilidade de múltiplas conexões, em uma velocidade jamais vista. A escola como instituição integrante e atuante dessa sociedade e desencadeadora do saber sistematizado, não pode ficar fora ou a margem deste dinamismo (Kenski,1998). Fora da escola, professores e alunos, estão permanentemente em contato com tecnologias cada vez mais avançadas, onde a máquina transforma, modifica e até substitui as tarefas humanas. Eles vivem e atuam nesta realidade como cidadãos participantes, mas não “conseguem” introduzir estas “novidades” dentro da escola, pois necessitam cumprir conteúdos programáticos exigidos. A tecnologia, mais especificamente, o uso do computador, além de renovar o processo ensino-aprendizagem, vai propiciar o desenvolvimento integral do aluno, valorizando o seu lado social, emocional, crítico, imaginário,deixando margens para exploração de novas possibilidades de criação (Kenski, 1998) Portanto, a informática, serve para explorar novas possibilidades pedagógicas e contribuir para uma melhoria do trabalho docente em sala de aula, valorizando o aluno como sujeito do processo educativo.
Por: Átima, Sandra e Suzete